sábado, 21 de fevereiro de 2015

Coluna Rede Literária, edição # 131, de 21.02.15

PRÓLOGO

Nessa batida da ressaca pós-carnaval, com uma demolição do patrimônio histórico no meio, e apenas dois dias de trabalho útil, chegamos sãos e salvos a mais um final de semana na capital mais destrutiva da região Norte.

Beijos derrubadores,

Edgar Borges
Mande notícias: culturaderoraima@gmail.com/edgarjfborges@gmail.com
Siga no twitter: @borgesedgar

ONCINHA




Cristino Wapichana comemora a publicação de mais um livro dedicado ao público infantil: A Oncinha Lili. Destinado a crianças a partir de dois anos, a obra saiu pela Editora Edebe e foi Ilustrada por Águeda Horn. Se se interessar, busca o Cristino no Facebook e faz o teu pedido que ele manda direto do Rio de Janeiro. O lançamento oficial ainda não foi definido.

 



Casa da Cultura

CHECK-LIST CULTURAL DA DEPRESSÃO – A ATUALIZAÇÃO




Em dezembro de 2014, as coisas estavam assim em Roraima:
1.       Casa da Cultura: fechada
2.       Intendência: fechada
3.       Centro Multicultural da Orla: fechado
4.       Teatro Carlos Gomes: fechado
5.       Museu Integrado de Roraima: fechado
6.       Biblioteca municipal: fechada
7.       Biblioteca estadual: só funciona em horário comercial e não abre aos finais de semana... Quase fechada, então.
8.       Galeria do anfiteatro do parque Anauá: fechada
9.       Bibliotecas dos municípios: quase todas fechadas
10.   Prédio antigo da Secretaria Estadual de Educação: abandonado

Agora, desde a segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015,  devemos fazer um acréscimo:
11. Prédio histórico do Hospital Nossa Senhora de Fátima: destombado e demolido.


QUESTIONAMENTOS SOBRE DEMOLIÇÕES E DESCASOS




1)      Com tantas descobertas de técnicas de arquitetura e engenharia, será que nenhuma conseguiria segurar as paredes do prédio do Hospital Nossa Senhora de Fátima em pé?
2)      A Diocese de Roraima não poderia ter buscado recursos ou parcerias que viabilizassem uma ação de recuperação do prédio que ela abandonou e deixou se acabar?
3)      Por que ninguém valoriza a memória histórica da cidade?
4)      Incompetência e má vontade são requisitos básicos para trabalhar na área do patrimônio histórico e da cultura em Roraima?



5)      O que aconteceria se os gestores que solicitaram e autorizaram a destombamento, e indiretamente aprovaram a demolição do prédio, fossem governar cidades como Cuzco? Em menos de um ano tudo já estava no chão ou demorava mais um pouco?
7)      Muitas pessoas não liguam para o patrimônio histórico da cidade, sob a alegação de que se está caindo é melhor derrubar para fazer algo que dê resultados para a vida da população. Talvez nas férias viajem para a Europa e nos passeios pelas vielas cheias de casas medievais digam: já pensou se no Brasil a gente tomasse conta de nossa história como os europeus?
8)      Qual será o próximo prédio importante a cair?



LINGUAGEM E CULTURA REGIONAL

A UFRR realizará em março o IV Simpósio Internacional de Estudos de Linguagem e Cultura Regional, com o tema Linguagem, Sociedade e Ensino. Alunos e professores de pós-graduação podem submeter, até 8 de março, resumos com os seguintes eixos temáticos: arte e cultura regional; linguagem e identidade; língua em contato; literatura regional amazônica, caribenha e latino-americana. Os trabalhos e pedidos de mais informações devem ser enviados para o e-mail ppgl@ufrr.br.

COMPRE CONTOS

Pessoas bonitas, este é o meu livro. Se quiserem, passem nas livrarias Saber ou UFRR para comprar ou então peçam por e-mail. O blog do livro, caso queiram saber mais da obra: http://livrosemgrandesdelongas.blogspot.com.br/.


POEMA
 

Era um disco de vinil
Na vitrola de uma amiga
Rodando um tempo passado
Numa canção bem antiga
*
Fechei meus olhos, voltei
Pra o tempo que hoje divago
Ouvindo o TEMA DE LARA
Do filme DR. JIVAGO
*
Ao voltar pro outro tempo
Vi o filme que assisti
Senti a mão sobre a minha
De quem eu nunca esqueci
*
Chegou ao fim a canção
Outra canção começou
Mas não falava com a alma
Da canção que terminou
*
Quem de nós não namorou
Do jeito que eu namorei
E quem de nós nunca chorou
Do jeitinho que eu chorei
*
O disco ficou silente
Eu com os olhos marejados
Estava aqui no presente
Caminhando em meu passado.

Texto sobre o passado que deixa as pessoas calejadas, de Eroquês Velho.

 
VISUAL



Hospital Erótica, obra de Stephen Nelson.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Como destuir a história de uma cidade



A Diocese de Roraima mandou derrubar o prédio do Hospital Nossa Senhora de Fátima, o  primeiro do estado, construído no começo do século passado. Alegação? As paredes poderiam cair a qualquer momento. Com base nesse argumento conseguiu que a prefeitura de Boa Vista autorizasse o destombamento da edificação e em menos de um mês botou abaixo o que antes era patrimônio histórico. 














 A demolição aconteceu na segunda-feira (16), naquele período em que todo mundo está ligado na folga de carnaval. Na terça eu passei por lá à noite. Peguei dois tijolos e levei para casa. Dei sorte, pois as máquinas estavam lá na quarta-feira de cinzas, trabalhando aceleradamente para terminar de apagar a história da cidade.
Contei para minha avó, nascida e criada em Roraima, que o prédio havia sido demolido. Ela ficou boquiaberta e falou:
- Meu Deus...Para que fizeram isso? Já pensou no trabalho que deu construir aquilo, ainda mais que antigamente tudo tinha que vir de fora?
Voltei no outro para ver as ruínas. Vendo as máquinas, me enchi de perguntas:
1)      Com tantas descobertas de técnicas de arquitetura e engenharia, será possível que nenhuma conseguiria segurar as paredes do prédio em pé?
2)      A Diocese não poderia ter buscado recursos ou parcerias que viabilizassem uma ação de recuperação do prédio que ela abandonou e deixou se acabar?
3)      Por que ninguém valoriza a memória histórica da cidade?
4)      Incompetência e má vontade são requisitos básicos para trabalhar na área do patrimônio histórico e da cultura em Roraima?
5)      Cadê pronunciamento do Conselho Estadual de Cultura, já que o municipal não existe, repudiando a ação da diocese e dando aquela chicotada no poder público por não ter rápida iniciativa que garantisse a manutenção do prédio?
6)      O que aconteceria se os gestores que solicitaram e autorizaram a destombamento, e indiretamente aprovaram a demolição do prédio, fossem governar cidades como Cuzco? Em menos de um ano tudo já estava no chão ou demorava mais um pouco?
7)      Muitas pessoas talvez não liguem para o patrimônio histórico da cidade, sob a alegação de que se está caindo é melhor derrubar para fazer algo que dê resultados para a vida da população. Estas mesmas figuras serão aquelas que em suas férias viajarão para a Europa e nos passeios nas vielas cheias de casas medievais  vão dizer: já pensou se no Brasil a gente tomasse conta como os europeus?
8)      Qual será o próximo prédio importante a cair? 



sábado, 14 de fevereiro de 2015

Coluna Rede Literária, edição # 130, de 14.02.15



PRÓLOGO

Esta é a edição número 130 da coluna Rede Literária. A jornada  começou em junho de 2013, ainda não rendeu um centavo, cansa fazer mas também compensa quando encontro alguém por aí dizendo que curte as notas. Dito isso, feliz carnaval. Se for ficar em Boa Vista, checano blog da coluna a programação da festa de rua em Boa Vista.
Beijos carnavalescos,


Edgar Borges
Mande notícias: culturaderoraima@gmail.com / edgarjfborges@gmail.com
Leia on line: www.culturaderoraima.blogspot.com.br
Siga no twitter: @borgesedgar


GESTÃO CULTURAL

 A Universidade Federal de Roraima recebe até 6 de março as inscrições no processo seletivo para preenchimento de 60 vagas de alunos no curso de Extensão em Gestão Cultural. Podem concorrer gestores públicos, conselheiros de cultura, alunos, professores e técnicos e da UFRR e agentes de entidades e/ou organizações culturais. O edital está disponível na página da Fundação Ajuri: www.ajuri.org.br. (Foto: RCCaleffi)


 

INCONFIDÊNCIA

O Museu da Inconfidência/Ibram começou a disponibilizar na página www.museudainconfidencia.gov.br o seu acervo musical. São cerca de 1,3 mil obras musicais de autores nacionais e europeus, datadas do século XVIII ao início do século XX.

PRÊMIO


O Prêmio ‘Educar para a Igualdade Racial e de Gênero: experiências de promoção da igualdade em ambiente escolar’ recebe inscrições até 31 de março de 2015. Além de premiação em dinheiro, os/as professores/as e escolas selecionados/as serão contemplados com cursos de formação, kit de livros voltados à temática étnico-racial e notebooks. Saiba mais: http://www.ceert.org.br/premio_educar/

VISUAL



“O amor, o amor”, poema visual de João Boaventura, publicado no blog estudantil http://7e8cfreiria.blogspot.com.br/.


SAN VALENTIN

Hoje é Dia dos Namorados mundo afora. Aproveita a deixa e faz um poema ou um conto para o teu amor ou teus amores. Vai que dá certo e a noitada fica boa?

LANÇAMENTO

Rolou esta semana o lançamento do romance "Brito, O Valente - Histórias do Rio Branco - Roraima - Fatos Verídicos", de Walmir Pimentel.

VISUAL II


Obra de Silvio Prado. Veja mais em http://poesiavisualsilvio.blogspot.com.br/.

CIÊNCIA

A Revista de Ciência e Tecnologia, periódico eletrônico com publicação semestral, vinculada ao Centro de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Roraima, está recebendo submissões de artigos até o final de fevereiro, para lançamento da sua primeira edição. A RCT pode ser acessada no site http://revista.ufrr.br/index.php/rct/index.


CARNAVAL INFANTIL 

O Sesc promove neste sábado,  em sua unidade do bairro Mecejana, um baile de carnaval para a molecada. A folia mirim começa às 17h e terá pula-pula, brinquedos, barraca de doces, salgados e bebidas, além de sorteio de brindes entre as crianças que forem fantasiadas. O ingresso é gratuito.

MUSEU DA FOLIA
Quem for à folia organizada pela Prefeitura de Boa Vista na avenida Capitão Ene Garcez poderá conferir registros fotográficos sobre a história do Carnaval da cidade no Museu Temporário do Carnaval. 
São 35 painéis fotográficos retratando os antigos carnavais de rua no então Território do Rio Branco, desde os primeiros blocos criados por famílias tradicionais da cidade, na década de 40, como o bloco Chitão da família Brasil e o bloco Corsário da família Terêncio Lima e anos mais tarde os blocos Arco Folia e bloco do Pó até os anos 70. O local terá ambientação, ar refrigerado e será montado na Praça das Águas, ficando aberto das 16h às 23h.


AMOR CONSUMADO

no princípio
delírio
suspiro proibido

dos lábios
um beijo
sutil roubado

o sonho
no espaço
flutua devasso

amor
no ventre
jaz consumado.

Poema de Victor Matheus em ritmo de San Valentin.


COMPRE CONTOS


Pessoas bonitas, este é o meu livro. Se quiserem, passem nas livrarias Saber ou UFRR para comprar ou então peçam por e-mail. O blog do livro, caso queiram saber mais da obra: http://livrosemgrandesdelongas.blogspot.com.br/.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Confira a programação do carnaval de rua em Boa Vista



O carnaval de rua começa hoje em Boa Vista. Confira a programação montada pela Prefeitura na praça Velia Coutinho. Tem blocos, shows e bailes, tudo na avenida Capitão Ene  Garcez.



Divirta-se com responsabilidade e caso encontro um amor no meio das serpentinas, lembre- de usar camisinha quando for demonstrar o seu afeto. Tipo a mensagem que a UFRR divulgou nas redes sociais:





SEXTA - FEIRA - 13/02


Praça Velia Coutinho
19h Abertura oficial
19h30 Bateria Show Nota 10
Escolha do Rei Momo e Rainha do Carnaval
Entrega da chave da cidade ao Rei Momo do Carnaval
21h30 Show Roraimeira de Carnaval
22h40 Banda Arikê
16h/23h  Museu Temporário do Carnaval de Boa Vista


SÁBADO – 14/02

Concentração (Avenida Ene Garcez)
18h Abertura
18h Esquenta dos blocos (paredões ou trio-elétrico)
19h Bloco Os Quebradinhos – com corda
19h20/20h40  Bloco Frango do Meio-Dia – sem corda
20h40/22h Bloco Canaimé – com corda
22h/23h20 Bloco Bafo da Onça – sem corda
23h20/0h40 Bloco Du Poder – com corda
16h/23h Museu Temporário do Carnaval de Boa Vista


Praça Velia Coutinho
20h40 / 21h50 Ranoldo do Cavaco
22h / 23h10 Guy Brás e banda
23h20 / 0h30 Grupo Revela


DOMINGO – 15/02

Concentração (Avenida Ene Garcez)
18h Abertura
18h Esquenta dos blocos
19h Bloco do Projeto Crescer – SEMGES
19h20/20h40   Bloco Guerreiros de Jorge – sem corda
20h40/22h Bloco Camaleão de Roraima – com corda
22h/23h20 Bloco O Grito da Arara – sem corda
23h20/0h40 Bloco A Porca Que Fuça – com corda


Praça Velia Coutinho
18h Baile da Melhor Idade/Cia. Criart Teatral
20h40 / 21h50 Banda Confete e Serpentina
22h / 23h10 Zerbine Araujo e Banda
23h20 Banda Elos
16h/23h Museu Temporário do Carnaval de Boa Vista



SEGUNDA-FEIRA - 16/02

Concentração (Avenida Ene Garcez)
18h Abertura
18h Esquenta dos blocos
19h20 / 20h40  Bloco Mujica – sem corda
20h40 / 22h Bloco Tepe-Quem – sem corda
22h / 23h20 Bloco Papa Xxana – sem corda
23h20 / 0h40 Bloco Todo Mundo no Harem – com corda


Praça Velia Coutinho
18h Baile de Carnaval Infantil
20h40 / 21h50  Banda RegioJazz
22h / 23h10 Banda Fuzuera
23h20 / 0h30 Banda Caio Cesar e Estevam Elétrico
16h/23h Museu Temporário do Carnaval de Boa Vista


TERÇA-FEIRA - 17/02

Concentração (Avenida Ene Garcez)
18h Abertura
18h Esquenta dos blocos
19h20 / 20h40  Bloco Tá com Medo? Por que Veio?
20h40 / 22h Bloco Vira-Vira
22h / 23h20 Bloco Coração Folia – com corda
23h20 / 0h40 Bloco Os Quadrilheiros – com corda


Praça Velia Coutinho
19h Batalha de confetes e serpentinas / Banda do Realce (IBVM)
20h40 / 21h50  Banda Jam Rock
22h / 23h10 Xama na Pegada Elétrico
23h20 / 0h30 Banda Nativa