quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Ganhadores da XII Mostra Poética da Escola 13 de Setembro – Contos

Para saber mais sobre a mostra, leia o post Escola 13 de Setembro realiza a 12ª edição da Mostra Poética


CONTO 1º Lugar 2010

O ENCANTO DO AMORNegritoNayhandra Cristine Vieira Magalhães – 8ª A



Em um reino conhecido como o Reino Encantado, o rei Matheo e a rainha Jhenefy, estavam comemorando em seu castelo o nascimento do príncipe Lucca.

Nesse mesmo dia a princesa Esphefany, também tinha nascido. A princesa era filha do rei Eduarth e da rainha Nathaly que moravam no reino do Vale das Rosas. O dois reinos eram amigos.

Passando-se sete anos, o príncipe Lucca e a princesa Esphefany passavam a maior parte do tempo juntos. Mas, surgiu certa raiva entre eles, por motivos banais. Coisa de criança.

Passando-se mais quatro anos, quando eles estavam contemplando seus onze anos de idade, seus pais decidiram que eles iriam se casar, porém cada vez mais, as crianças brigavam.

Seus pais construíram um castelo para eles. Esse castelo ficava entre o Reino Encantado e o Reino do Vale das Rosas, lá seria onde eles iriam construir sua família. Mas havia uma bruxa que odiava os dois reinos e quando soube do casamento lançou um feitiço sobre o castelo. Esse feitiço só poderia ser quebrado se existisse o verdadeiro amor entre o casal.

Passaram-se mais dez anos, o príncipe e a princesa tiveram de se ver mais uma vez, só que já era para o casamento arranjado. Eles nada sabiam do feitiço, apenas os pais. Se eles não se amassem de verdade, assim que si casassem, a princesa seria presa para sempre na torre mais alta do castelo da bruxa.

O encontro foi esplendido. Lucca estava um homem formado e lindo. Esphefany também linda estava, assim que ele a viu, se apaixonou, porém ela não. Faltavam dois dias para o casamento e os pais de Lucca e Esphefany estavam preocupados com o feitiço e com o casamento.

No dia do casamento Esphefany, não queria ir, mas teve que ir por ordem do pai. Depois da cerimônia de casamento, seguiram direto para o castelo. Ao entrar, Esphefany é envolvida por um redemoinho mágico e desapareceu. O feitiço se concretizou.

Lucca, desesperado e sem saber o que fazer, saiu correndo, montou em seu cavalo e foi ao encontro de seu pai. Chegando lá contou tudo aos seus pais e de Esphefany, os quais decidiram ir à fortaleza da bruxa. Lucca insistiu, insistiu até que foi junto.

Quando chegaram lá, tiveram que enfrentar a bruxa, que estava protegendo a torre mais alta. A bruxa os derrotou com seus feitiços, mas Lucca, se levantou, a enfrentou de novo. Depois de quase uma hora de luta, Lucca caiu no chão, e nesse descuido, a bruxa manda um raio mortal em sua direção. Seu pai ao ver se levanta e grita o nome do filho.

- Luccaaaa...

E se joga na sua frente sendo assim atingido pelo raio, no lugar de Lucca.

- Não, pai! - Grita Lucca ao vê-lo desmaiado em seus braços.

Lucca se levanta com sede de vingança contra a bruxa. Pega a sua espada e a encrava no peito da bruxa.

- Isso é pra você nunca mais mexer com a minha família.

Após terminar, puxa a espada do peito da bruxa, que cai no chão, morta.

Poucos segundos depois, a fortaleza dela começa a desaparecer. O feitiço é quebrado. Assim que a princesa aparece, vendo aquele cenário, pergunta emocionada a Lucca.

- Você fez isso por mim?

- Sim, pois eu te amo, princesa.

A princesa abraça Lucca e o beija.

Lucca volta para o castelo, levando seu pai que lá acorda e vê todos bem.

Passando-se alguns dias, Lucca e Esphefany se mudam para o seu castelo.

E viveram felizes para sempre...



CONTO 2º Lugar 2010

O DIÁRIO ECOLOGICAMENTE CORRETO
Samara de Oliveira Pereira - 6ª - ANegrito

Era uma vez uma garotinha muito simpática, a Amabel.

Amabel não tinha muitos amigos então sua mãe resolveu lhe dar um diário. Nele a garotinha escrevia todos os seus sonhos e desenhava alguns personagens criados por ela mesma. Um desses personagens era o Mike, um palhacinho com cara de gambá.

Um dia, quando ia se deitar, Amabel viu que seu diário brilhava. Ela se aproximou lentamente e foi surpreendida por Mike, o palhacinho, que saltou do diário.

- É você mesmo. Mike?

- E aí, chefinha, surpresa em me ver?

- Claro, o que está fazendo aqui no mundo real?

- Tenho que falar rápido, vou te levar ao mundo de Matix.

- Mas eu... – houve-se um estrondoso “abracabrum” e os dois desaparecem e reaparecem em outro mundo.

- Uau! Aqui é Matix, o mundo que eu criei no diário? É bem melhor que a minha realidade.

-Venha, – disse Mike – vamos falar com o chefe real de Matix.


- Olá, tudo bem chefe? Essa aqui é a Amabel, a criadora e a rainha de Matix – disso Mike ao chefe.

- Prazer, eu sou o chefe real Frederico, mas pode me chamar de “chefe”. Vamos ao que interessa. Mike te trouxe aqui, porque os humanos estão destruindo a natureza e Matix está sofrendo sérias consequências.

- Mas vocês não são reais! – contestou Amabel.

- É claro que somos, o planeta de vocês é que não é, ele é cheio de ódio e de gente falsa. Aqui somos repletos de amor e pessoas bondosas, mas nossas águas e nosso ar estão contaminados por causa dos humanos.

- OK, chefe, vou voltar e dizer aos humanos o que vocês me falaram – assegurou Amabel.

- Não! Eles acharão que você é doida. Não diga que fomos nós que te falamos isso, pois eles não tem mais a capacidade de sonhar – afirmou Mike.

- Estou pronta, vamos voltar.

Um “tibum” estrondou e eles voltaram para a Terra.


Matix não voltou a ser feliz, porque a Terra... vocês sabem como está, né?

Como a Amabel não pode fazer tudo sozinha, que tal nós a ajudarmos?





CONTO 3º Lugar 2010

A SUPERAÇÃONegritoKamila Machado Silva - 6ª - A


Meu nome é Sara. Quando eu era pequena não tive muitas oportunidades a respeito dos estudos, pois morávamos no interior. Até que minha mãe se deu conta de que aquele lugar não era bom para mim e fomos morar na bela cidade de Belo Horizonte.

Desde então minha vida começou a melhorar e apareceram várias oportunidades. No começo fiquei preocupada em piorar minhas notas. Comecei até a namorar um garoto da minha escola chamado Marcelo.

Certo dia tive a pior notícia da minha vida. Minha mãe tinha sofrido um acidente de moto e tinha falecido. Quando soube, entrei em desespero total.

Desde então, fui morar com meus tios, ali perto da minha antiga casa. Tempos depois, fiz o vestibular para Medicina e passei em segundo lugar. Foi uma alegria só. No começo do curso foi difícil, mas logo fui muito além do que eu mesma esperava.

Depois de uns anos trabalhando, comprei uma casa e comecei a viver minha própria vida.

Certo dia encontrei um homem na rua e me dei conta de que era o Marcelo, meu antigo amor de escola. Começamos a namorar novamente, nos casamos e tivemos filhos gêmeos, Gustavo e Fernanda. Vendemos a casa de Belo Horizonte e fomos para o Rio de Janeiro.

Hoje, Gustavo e Fernanda estão com quinze anos e estão no primeiro ano do Ensino Médio.

Eu continuo trabalhando em medicina e viverei assim para o resto da minha longa vida.