quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Ganhadores da XII Mostra Poética da Escola 13 de Setembro – Poesia juvenil

Para saber mais sobre a mostra, leia o post Escola 13 de Setembro realiza a 12ª edição da Mostra Poética



1º lugar 2010

ONDE EU MORO

O lugar onde eu moro

Simplesmente é aqui

Localiza-se

Na Avenida das Guianas

Próximo à Ponte dos Macuxis

Moro na Avenida

Que é muito movimentada

Minha casa é de madeira

Porém, muito “aconchegada”

Acordo de manhã cedo

Para ver o sol nascer

Que beleza esplêndida!

Que belo resplandecer!

De tarde vou para escola

Para o meu ensino melhorar

Prestando muita atenção

No que vão me ensinar

Me dedicando

Ao máximo para “passar”

No 13 há gente legal

Só alguns

Que querem

Ser maus

O 13 é espetacular

Mas, de vez em quando

Acontece um assalto

Por lá

O meu bairro é assim:

Nem bom, nem mal,

Nem ruim

Simplesmente diferente

Que envolve toda gente

Onde moro tem coisas

Que não gosto, como:

Abandono, judiação,

Preconceito e discriminação,

Mas, para tudo

Tem sempre solução

Onde moro é assim

Coisas que gosto e não gosto

Tudo, enfim

Mas , meu lugar

Tem uma sintonia

Que a todos contagia

E transmite alegria!!



Nayhandra Cristine Vieira Magalhães – 8ª A
Intérprete: Elizangela Roque Souza



2º lugar 2010


O MUNDO DO APRENDIZ


Na escola aprendi

O mundo compreendi

Na aula de Ciências

O planeta entendi

A gramática estudei

Nos livros mergulhei

Na aula de Português

Os pronomes decorei

No passado viajei

A cultura pesquisei

Na aula de História

O conhecimento conquistei

Nada disso é ilusão

Eles sempre terão a razão

Pois com os professores

Terei a minha profissão

Na escola me formarei

No topo subirei

Na vida um grande prêmio

Sempre conquistarei


Samara de Oliveira Pereira – 6ª A

Intérprete: a mesma



3º lugar 2010

DROGA DESTRUIDORA


A droga está em todos os lados

Para te destruir aos poucos

Pra te deixar

Totalmente louco

Sem você perceber

Ela destrói você

A droga vem disfarçada

Para te levar à perdição

E te deixar sem razão

Na droga é fácil entrar

E experimentar

Mas difícil mesmo é se curar

Saiba, a droga destrói seu lar

A droga leva você

Ao ponto de se matar

Não se venda tão fácil

Não acabe com a sua vida, não

Pois existe alguém no mundo

Que te ama de montão


Nicaele Cruz das Chagas – 7ª A

Intérprete: a mesma



4º lugar 2010

O ALERTA

A droga, a erva maldita

Destrói vidas e famílias

Te contamina, te alucina,

Te vicia

Cuide bem de sua vida

Não queira essa vida

Ela destrói, te corrói

A melhor maneira de vencê-la é:

Não provar

Senão ela vai te contaminar

Pois se te pegar

Fique esperto, não irá mais te largar

Isso é só para te alertar!


Loreanne Rodrigues da Silva – 8ª A

Intérprete: a mesma



5º lugar 2010

UM NOVO AMANHECER


De todas as cores

Elas chamam atenção

Mas choram as flores

Pedindo compaixão

Arrancadas à força

O solo perde a cor

Acabando com a esperança

De um pobre beija-flor

As árvores gritam:

- Isso tem que parar,

Pois acabaram com o lar

De um pequeno Sabiá

Plantar é colher vida

De você quero escutar

Responde: a beleza divida

Um dia irá se acabar?

Eu imploro

Por um novo amanhecer

A nossa Natureza

Não aguenta mais sofrer!


Samara de Oliveira Pereira – 6ª A

Intérprete: a mesma




6º lugar 2010

ABISMO


A vida é um abismo sem fundo

Em que me vejo caindo a cada segundo

Meu futuro planejo sem rumo

Minha vida parece não ter saída

Meu futuro acho que vai ser assim

Sem pais, amigos, sem amigos, enfim

Pois a paz nunca me deu valor

Se não, porque me desprezou?

Cansei de achar

Que nunca fui amada

Mas, pelo jeito,

Não estou enganada

É tão ruim ser desprezada

Às vezes, acho que não sou nada

Não tenho solução

Nem opção

Pois nunca ninguém me deu razão

Ou estendeu a mão

Sempre fiquei largada

Jogada no chão

Simplesmente não sou ninguém

Pois o mundo me faz refém

Tentei fugir

Mas não sei para onde ir

Pois se eu partir

Falta não farei

Mas, saudades,

Sim, deixarei

Posso não ser nada

Mas construí a minha estrada

O fim está chegando

Posso ver

Mas creio que um dia vou vencer

Tá chegando a hora

Tenho que ir

Mas, lembre-se

Um dia voltarei aqui!



Nayhandra Cristine Vieira Magalhães – 8ª A

Intérprete: Steffane Mayara do N. Azevedo – 6ª B




7º lugar 2010

O PODER DA BÍBLIA


Eu era muito desligada


Não tinha prazer de viver

Vivia muito estressada

O que queria era morrer

Em mim a fé não existia

As esperanças estavam morrendo

Palavras de Deus eu não sabia

O vazio estava se estabelecendo

Mas um dia eu resolvi

Que a vida tinha que mudar

E foi assim que eu descobri

Que a Bíblia podia me ajudar

A leitura da Bíblia me ensinou

Que devemos cultivar amor

Pois Deus nunca nos abandonou

Mesmo na hora da dor

Hoje o Senhor me guia

Aquela pessoa não sou mais

Que sem fé sofria

Pois isso ficou pra trás

Na Bíblia encontrei esperança

De sempre feliz ser

Pois a Bíblia tem poder

E isso ela deixa de herança


Jorgete Daniele de Oliveira – 6ª A

Intérprete: a mesma



8º lugar 2010

LEMBRANÇAS DA ESCOLA


Meu primeiro verso aqui eu declamei


Expressando meus sentimentos

A todos emocionei

Hoje aqui voltei

Querendo emocionar

Com o poema que compus

A todos quero agradar

Estou finalizando a 8ª série

Com muita saudade

Minha escola deixarei

Mas sempre recordando

Dos bons momentos

Que aqui passei

Ficarei com saudades

Dos momentos felizes

Dos meus amigos

Dos professores, dos meus colegas

E dos administradores

Simplesmente com saudades

Ficarei das lembranças

Das amizades

Que aqui deixarei

Expresso neste poema

Meus sentimentos

E quero demonstrar

Meus agradecimentos

Como finalista

Da Escola 13 de Setembro,

Tenho a honra de falar:

“Obrigada, escola amada,

Por seu amor nos dar!”


Nayhandra Cristine Vieira Magalhães – 8ª A

Intérprete: a mesma



9º lugar 2010

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Da violência somos alvos frágeis

Vem um e nos derrubam

Será que é moda homem matar mulher?

Não sei se é, mas parece ser, meu Deus!

Não temos como nos defender

Das agressões, humilhações,

Traições, decepções

E principalmente da morte

Será que será assim?

Seremos frágeis até o fim?

Essa é a pergunta que não quer calar

Até quando isso vai durar?

Isso é o que venho te perguntar

Pois, se dependesse de mim, isso iria acabar!

Felizmente não existe

Somente eu para lutar

Pois conto com você para me ajudar

A combater a morte, a agressão

A violência, a humilhação

Eu sei, não é fácil

Mas juntos vamos conseguir

Estamos cansados de sofrer

Sofrimento assim

Não merecemos receber

Será que não haverá uma saída?

ou sofreremos por toda a vida?

A violência contra a mulher

Não merece chá de colher!

Então lutemos para combater

A iniqüidade que faz morrer

Unindo nossas forças

Faremos acontecer

Combatendo a violência

Com certeza vamos vencer!

Pois em briga de marido e mulher

Devemos, sim, meter a colher!


Nayhandra Cristine Vieira Magalhães – 8ª A

Intérprete: a mesma


10º lugar 2010

MINHA ELEIÇÃO


Eu vou dar casas

Para pobres pessoas

Que sofrem nas enchentes

E para quem mora em lagoas

Pronto!

Com isso vou ganhar

Os bestas em mim vão acreditar

Mas se você não quiser votar

Eu posso te pagar

O dinheiro não é meu

É dos otários que em mim votam

Dizem que as ruas da cidade

Estão cheias de buracos

Mas buraco mesmo

Tem na honestidade, na ética

E da cabeça dos que em mim votam.


Denise Macedo Barros – 8ª A

Intérprete: a mesma