quarta-feira, 21 de julho de 2010

Locômbia e Cia. do Pé Torto ganham Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz


A Fundação Nacional de Artes (Funarte) publicou nesta terça-feira (20) o resultado do Edital do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2010.

Novamente, grupos de Roraima vão receber uma boa plata para montar espetáculos e fazer circulação aqui no extremo Norte.

Os felizardos que apresentaram seus projetos e foram selecionados são os grupos Associação Cultural Artística Locômbia Teatro de Andanças e a Cia. do Pé Torto.

O Locômbia é um dos premiados na Categoria A do edital, focada na Circulação de Espetáculos. Os atores vão levar R$ 90.000 para casa graças ao projeto "Locômbia, 25 Anos de Teatro e Andanças".

É a segunda premiação que o grupo leva neste mês, como você pode conferir neste link, totalizando um lucrativo julho de R$ 115.000.

Entre os premiados na Categoria B, relativa à Montagem de Espetáculos, está a novata Cia. do Pé Torto. O projeto apresentado no nome da atriz Cora Rufino tem o título "Em Cómodos".

Identificado no Diário Oficial da União como se fosse de Rondônia (RO), resultou em R$ 60.000 para a turma, que agora vai entrar em campo para sua primeira peça.

Sobre esse prêmio, conversei com a atriz Cora Rufino por e-mail. A menina, que ficou em segundo lugar no Concurso Sesi de Poesia neste ano, está mais do que feliz. Confere:

1. Qual é a proposta do projeto "En Cómodos"?

En Cómodos é uma peça que se baseia em três contos do escritor uruguaio Horacio Quiroga. Ele escrevia contos de realismo-fantástico, tendendo para o horror, com o propósito de trazer uma reflexão sobre a vida e sociedade. No caso do espetáculo En Cómodos, utilizaremos os contos "a galinha degolada", "o travesseiro de penas" e "o solitário". Todos falam sobre casamentos e seus conflitos nos cômodos das casas, por isso o nome do espetáculo (que é grafado em espanhol para homenagear a nacionalidade de Quiroga)

2. Qual foi a reação da trupe? Já haviam participado de algum outro edital anteriormente?

Nunca. A Companhia do Pé Torto não tem nem um ano de existência. Esse foi o primeiro projeto que escrevemos. Ficamos muito felizes! Eu estou em Manaus, recebi a ligação da Funarte, só faltei morrer! Liguei para o pessoal do grupo que está em Boa Vista, escrevi no nosso Twitter e agora estamos nos organizando para começar a executar esse projeto.

3. Esta será a primeira peça da Cia. do Pé Torto?

Sim. Antes disso só nos apresentamos uma vez - numa leitura dramática - o texto curto "Colher de Sal", do Francisco Alves, um dos membros da Cia. do Pé Torto.

4. Quantas e quais pessoas formam o grupo hoje?

Hoje o grupo é formado por mim (Cora Rufino), pelo Francisco Alves,pelo Baronso Lucena, pelo Vito Souza e pela Juliana Morais.

Cora, entre Baronso e Vito