sábado, 14 de julho de 2012

Coluna Rede Literária, edição 5, de 14.07.12

PRÓLOGO

Amazonas, Rondônia, Pará...esses estados amazônicos têm uma coisa boa em comum: em todos há concursos e prêmios abertos para contemplar escritores de prosa e de poesia com publicação de livros e pagamento em reais, valorizando o setor e estimulando a criatividade. Já os dirigentes de Roraima e seus municípios continuam achando que bom mesmo é só investir, sem nenhum demérito ao trabalho das bandas, em festas regadas a forró, brega e bebida. Uma pena que a coisa continue assim.

Edgar Borges
culturaderoraima@gmail.com



Marcelo Mota é mestre em Design. Tem mais coisas, inclusive jornalísticas, no blog do cara.




CURTI!

"Aprendi a ler aos sete anos e, logo depois, aprendi a gostar de ler. A estratégia dos meus pais foi me jogar Sítio do Pica-Pau Amarelo de Monteiro Lobato. Demorou pouco para me verem dormindo, babando sobre um livro, na ânsia de conhecer o próximo movimento de um herói, ou vilão. Depois de ser apresentado no "colegial" à literatura chata e obrigatória, que me acompanhou até o vestibular, pude levitar de novo. Destaco o livro "A Sobra do Vento", do catalão Carlos Ruíz Zafón. Com capítulos curtos e enigmas intermináveis, ambientados em uma Barcelona gótica e cheia de mistérios do início do século passado, é um daqueles bons livros da minha infância e adolescência, que me faziam 'colar' e só parar na contra-capa. É a história de um menino que cresce dos 8 aos 18 anos, envolvido com a história de um misterioso escritor, cujo único livro (também chamado de A Sobra do Vento) o menino conheceu no Cemitério dos Livros Esquecidos. É uma aventura e ao mesmo tempo uma declaração de amor à leitura. Pode ser pouco para os admiradores de uma literatura sofisticada e mais realista, mas para mim foi o livro que me fez sentir criança - uma criança que gostava mais de ler."     

Timóteo Camargo é jornalista

CONCURSOS LITERÁRIOS
Concurso Literário da Associação Brasileira de Educação Médica/2012
Concurso de poesias exclusivo para estudantes de medicina, docentes, residentes e profissionais da área da saúde de todo o Brasil

Premiação:
I) Ao autor do melhor trabalho será entregue um tablet

II) Certificados aos demais classificados

Prazo: 10 de setembro de 2012

Leia o regulamento completo.




PEQUENIN@S


Puxei o fio da meada

assim, como quem não quer nada   


Não me custa tentar desatar

ver se rende conversa fiada

…..................................


Papelão sobre tela

jornal sobre calçada



Muito pouco

sobre quase nada



A dura arte de sobreviver


Poemas do paranaense morador do RJ Rodrigo Domit, autor do livro Colcha de Retalhos. Mais do cara aqui .

(Mande seu poema ou miniconto + brevíssimo perfil para esta seção: culturaderoraima@gmail.com)



MONTEIRO LOBATOEste é o nome de um projeto da Secretaria de Justiça e Cidadania e do Tribunal de Justiça de Roraima para remissão de pena. A ideia de estimular a leitura e produção de resenhas entre reeducandos é inspirada em um projeto federal. Resumindo: livro lido e resenha boa, menos dias preso e maior conhecimento de mundo.

DOAÇÕESSe você quer ajudar o projeto Monteiro Lobato, pode fazer isso doando livros ou revistas. Veja os pontos de coleta: Assembleia Legislativa, Câmara Municipal, Megafarma 24h, Faculdades Cathedral,  Vimezer, Supermercado Gavião, Refrigeração JR, Perin Praça do Automóvel, Frangão com Baião Pricumã, UFRR, Detran, Fórum Sobral Pinto, Banco do Brasil (agência Monte Roraima), Secretaria de Educação, IFRR, Miro Cabeleireiro, Secretaria de Saúde, Sebrae, SEST/SENAT, Sesi (colégio) e Sesc Mecejana. Mais de cinco mil exemplares já foram entregues.


FILMINHO
 

Toda semana eu falo mas nunca havia colocado nada que fosse realmente 2.0 na versão web da coluna. Desta vez, no entanto, vai ter sim. Vê  aí um documentário com Carlos Drummond de Andrade, dirigido por Fernando Sabino e David Neves em 1972.

 

ADAPTAÇÕES
Sabe qual é o autor vivo mais adaptado para cinema e TV? O mestre do terror, Stephen King. Numa lista do IMDb (literalmente Base de Dados de Filmes na Internet) misturando vivos e mortos, ele cai para a 18a posição. O primeiro é William Shakespeare, seguido de Anton Chekhov e Charles Dickens. Edgar Allan Poe e Alexandre Dumas dão sequência à relação, que ainda tem gente como Arthur Conan Doyle, Oscar Wilde e Fyodor Dostoevsky.


 
ANÚNCIOS



Navegando na net fui parar num blog da Folha de São Paulo que publicou anúncios em edições de 1944 da revista “Diretrizes”, revista fundada por Samuel Wainer. Este é de um livro de Jorge Amado.




PARABÉNS 


E hoje o escritor local que apaga as velas e celebra mais um capítulo da vida é o historiador Adair J. Santos, membro da Academia Roraimense de  Letras e autor, entre outras obras, do livro Roraima - História Geral, uma boa pedida para saber mais do passado desta terra.