segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Coluna Rede Literária, edição # 34, de 04.02.13


PRÓLOGO

Olá, gente linda que curte literatura. Depois de seis meses publicando a coluna aos sábados, a partir de agora estaremos por aqui sempre às segundas, tentando apresentar-lhes o que roda em Roraima e no mundo em nossa área. Aproveitem a leitura e compartilhem suas opiniões e informações no link abaixo.

Edgar Borges
culturaderoraima@gmail.com


CONCURSOS LITERÁRIOS

Concurso de Crônicas Laura Ferreira do Nascimento
Informações:
a) Concurso de Crônicas
b) Tema: Amor
c) Inscrições até 28.06.2013 
d)Premiação: I) 1º: R$1.000,00 / 2º e 3º: R$100,00


VISUAL

Texto deste colunista, foto e arte da poeta Zanny Adairalba. Durante todo o mês de fevereiro haverá, a cada dois dias, um novo poema para ser lido no blog Crônicas da Fronteira. Vai lá e aproveita.


CLÁSSICOS PARA JOGAR

Os enredos dos livros Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida e “O Cortiço”, de Aluísio de Azevedo, ganharam versões para jogos online no site dos Jogos Clássicos da Literatura. Uma boa para quem é professor de literatura.


FELICIDÁRIO


Ilustração do site Felicidário




PARA DEFICIENTES VISUAIS

A Coleção Itaú de Livros Infantis ganhou edição para deficientes visuais. Os livros "Lino", “O Ratinho, o Morango Vermelho Maduro e o Grande Urso Esfomeado” e "Poesia na Varanda" foram publicados em braille e com fonte ampliada. Para ganhar, basta fazer um cadastro no site da Fundação Itaú Social, que envia pelos Correios: ww2.itau.com.br/itaucrianca.

HQ
Na semana em que se celebrou o Dia do Quadrinho Nacional, a dica de de download é o almanaque especial Contos do Absurdo - Salomão Ventura, que compila as duas primeiras aventuras do personagem.

PRÊMIO

A obra "Da Arte das Armadilhas" (Companhia das Letras), de Ana Martins Marques, 35, foi confirmada semana passada como vencedora do prêmio Alphonsus de Guimaraens, realizado pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN) no ano passado. O resultado altera o polêmico resultado que havia dado o prêmio à antologia "Poesia (1930-62)", de Carlos Drummond de Andrade, organizada por Júlio Castañon Guimarães e publicada pela editora Cosac Naify. Houve muitas críticas à escolha inicial, já que, de acordo com o edital do programa, poderiam participar apenas livros inscritos pelos autores ou pelas editoras, "mediante autorização por escrito deste, que deverá ser anexada à ficha de inscrição".


BELEZA E LIVROS


Obra da série Beauty and the Books, da fotógrafa americana Vanessa Rudloff. Para ver mais mulheres e livros, vai em www.vrudloffphoto.blogspot.com.br

FRANCÊS 
Não tem a ver com literatura, mas é bão do mesmo jeito: nesta quarta-feira (6) será realizada no CineSesc Digital uma retrospectiva de curta-metragens do artista e cineasta roraimense João Vieira Torres, radicado em Paris desde 2002. A sessão começa às 19h, com entrada franca. Depois dos filmes haverá uma roda de conversa com João, cujas obras foram selecionadas e premiadas em diversos festivais internacionais.  O CineSesc Digital fica no prédio do Sesc Mecejana, ao lado do viaduto da avenida Venezuela. Além do Sesc Roraima, a atividade conta também com o apoio do Coletivo Arteliteratura Caimbé.


MESTRE

Georgina Pinho, professora do curso de Letras da UERR, obteve nota máxima na dissertação 'Filigranas de vozes... performance dos narradores e o jogo de significados nas narrativas orais indígenas da Comunidade São Jorge-RR', defendida na UFRR. O trabalho busca perceber como as narrativas ajudam na difusão da cultura. Foto: Timóteo Camargo. 




POESIA

A deusa do amor

Por Édison Eroquês Velho

Se canto meu canto
te busca e te enlaça
te beija e te abraça
e te torna só minha

Então sou um rei
na tua vida me ponho
com olhos de sonhos
buscando a rainha

As flores do campo
suaves, macias
parecem esguias
lembranças de ti (…) 

Então sou o prado
onde tu és a flor
com perfumes do amor
que iguais não senti

Se as águas do mar
nas idas e vindas
com ondas infindas
me trazem você

Então sou a praia
onde as ondas se quebram
mas, nunca me negam
teu jeito de ser

Saudade é a vida
do verso e do canto
das águas, do campo 
do prado e da flor

Porém, tão distante
com custo te acho
e, sonhando eu te faço
minha deusa do amor

onde tu és a flor.