segunda-feira, 18 de março de 2013

Coluna Rede Literária, edição # 40, de 18.03.13

PRÓLOGO                                            
Dia 14 celebrou-se o dia nacional e dia 21 é o dia internacional da poesia. Por conta dessas datas e para movimentar a cena literária local, o Coletivo Arteliteratura Caimbé organizou uma série de atividades que terminam no próximo domingo, 24. As fotos de hoje são do lançamento da coleção de cordeis de Zanny Adairalba e do sarau feito na Livraria Saber para abrir a II Semana Caimbé de Poesia. Para ver toda a cobertura, acessa www.caimbe.blogspot.com.br. Mas antes pensa um pouco: e se todo órgão público ou privado investisse numa atividade literária por semana, como seria Boa Vista nessa área?

Edgar Borges
culturaderoraima@gmail.com 

CONCURSOS LITERÁRIOS

Prêmio Cidade de Belo Horizonte
Informações:
a) Concurso de livros inéditos (Contos, Dramaturgia, Romance e Poesias)
b) Premiação: em cada categoria: R$ 50.000,00
c)Prazo: 22 de Março de 2013
c)Edital completo.

 
É de pequenos que se formam os leitores: que o digam os pequenos Edgarzinho Bisneto e Isabela Quintelas



Ator Anderson Souza interpretou poemas da poeta Zanny Adairalba
POESIA
A II Semana Caimbé de Poesia continua nesta terça-feira. A poeta Zanny Adairalba realizará uma oficina de escrita de literatura de cordel na escola estadual São José, no centro da capital, como parte do projeto Canoa na Escola, do Coletivo Canoa Cultural, parceiro do Coletivo Caimbé na semana.

MAIS POESIA
A semana de poesia continua sexta-feira (22/03), com a edição mensal do Sarau DoQuintal, parceria com o Estúdio Parixara. Desta vez serão comemorados as passagens dos dias da poesia e da mulher.  Foram especialmente convidadas as poetas e declamadoras Eli Macuxi, Vânia Coelho, Adília Quintelas e a própria Zanny Adairalba. O sarau começa sempre às 20h, no Espaço DoQuintal, Av. Presidente Castelo Branco, 2.266, São Vicente, na quadra entre as avenidas Ville Roy e Mucajaí. Haverá também montagem de varal colaborativo e exposição dos banners poéticos da série Curt@s Histórias e poesias, de autoria deste colunista.


 
O jornalista Timóteo Camargo, sua filha Liz e a poeta Zanny Adairalba: caixa de cordéis para a bebê aprender a gostar de poesia popular desde cedo

E MAIS POESIA
A Semana Caimbé de Poesia será encerrada na manhã do domingo 24 de março, com uma intervenção litero-poética no Feirão do Garimpeiro. A proposta é levar poesia e montar uma barraca literária naquele espaço da zona oeste de Boa Vista, divulgando a produção dos autores roraimenses em um dos lugares mais movimentados da cidade nos finais de semana.

DIGITAL
Com o tema Livro Além do Livro, o 4° Congresso Internacional CBL do Livro Digital será realizado nos dias 13 e 14 de junho de 2013 (5ª e 6ª feira). O local é a Fecomercio de Eventos, São Paulo.  Serão abordados temas como  comercialização, pirataria e bibliotecas.  Veja  a programação  aqui: www.congressodolivrodigital.com.br

E-BOOKS
A Universidade Federal de Roraima celebrou a passagem do dia do bibliotecário com uma palestra sobre os cenários mundial e nacional dos e-books. A UFRR tem hoje 3.471 títulos eletrônicos em seu acervo.
 

Roqueiro Manoel Rolla, do Coletivo Canoa Cultural, parceiro na Semana Caimbé de Poesia

Turma da Livraria Saber: Keithyane Melo e Antonio Bentes
 PROJETOS
A Universidade Estadual de Roraima e a Secretaria Estadual da Educação realizam esta semana uma oficina de elaboração de projetos escolares voltada para professores e mediadores de leitura. A atividade também será desenvolvida em cinco municípios do Interior.



 
LER É BOM
Professores de todo o país podem realizar as inscrições de escolas públicas para participar do programa Ler é Bom, Experimente no site www.projetosdeleitura.com.br. A ação é realizada pelo grupo Projetos de Leitura com o apoio do Ministério da Cultura. O trabalho consiste na doação de livros a estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental até o Ensino Médio e o desenvolvimento de atividades a partir da leitura. As escolas inscritas receberão de 38 a 114 livros, material de apoio como folhas pautadas para redação, questionários e uma cartilha pedagógica para auxiliar o professor a executar as atividades dentro da sala de aula.


 
O amor é lindo, ainda mais se for entre poetas; no caso, Rodrigo Mebs e Adilia Quintelas


CRÔNICA
A ausência do tomate
Dia desses o José perguntou para Maria quanto estava o tomate. A Maria muito solícita lhe disse que tomate não tinha não, mas que ele poderia escolher outras hortaliças que ela dispunha na banca. José ficou irritado com tanta educação para lhe dizer que não tinha o que ele queria. – Olha como as coisas são! Querendo ser boazinha e educada, mas o tomate que eu quero que é bom, não tem! – Pensou ele.
Pausadamente, continuou a conversar com ela sobre assuntos frívolos que haviam ocorrido no dia anterior perto dali. Conversa vai, conversa vem, ele foi chegando perto, pertinho; Maria achou que fosse só ele querendo sentir sua fragrância natural, por isso permitiu a proximidade e continuou falando sem parar. Nenhum dos dois sabia exatamente qual era o assunto, mas as palavras continuavam a sair. Foi então que em um momento, aquele José estava a ponto de cair por cima de Maria, mas antes que isso acontecesse ele conseguiu ver que atrás da bancada de legumes e hortaliças não havia mesmo nenhum caixote de tomates, que talvez ela estivesse escondendo para não vendê-los. Se virou, disse ‘obrigado’ e saiu para a próxima banca. Maria nesse instante ficou frustrada. Como ele deixou tantos indícios de interesse para depois ir embora sem ao menos pedir meu telefone? – Essa história de ‘tomate’ é novidade.
Quem imaginaria que minutos depois, José estaria chegando em casa deprimido porque não encontrou tomate para fazer o molho para a visita que esperava para o almoço. Os minutos foram passando, ele já estava todo arrumado, cabelo pro lado, camiseta quadrilhada nova, mesa e talheres postos… Só faltava… Ding Dong. Sua visita realmente veio! Ele parecia estranhamente feliz, abriu a porta e mostrou um largo sorriso ao olhar a pessoa que entrava totalmente eufórica, lhe abraçando e dizendo que estava faminta. Ele sentiu um gelo percorrer o interior de sua alma. Foi então que enquanto ela, a convidada,esperava à mesa, ele pensava em mil formas de pensar se justificar sobre o almoço não sair como o esperado. Serviu uma panela consideravelmente grande, sendo que havia apenas duas pessoas ali. Colocou no prato, estava um tom pastel predominante no prato. Não havia nada que pudesse fazer agora. Colocou o sal ao seu lado para temperar. Ela o observou como se estivesse esperando o restante, nenhum movimento. Então, num momento de pura coragem, e medo do esperado desapontamento, José disse que não conseguiu o ingrediente para terminar o molho. Ela olhou, deu um pequeno sorriso de lado e disse: – Não tem problema. Eu sei que você deve ter procurado muito, admiro isso em você, mas, será que você tem catchup aí?
Enquanto ia até a geladeira, caminhou lentamente balbuciando algumas palavras que só ele conseguia ouvir:
Por favor geladeira, tenha catchup! Tenha catchup! Tenha catchup!

Crônica de Ana Fabyely Kams. Leia mais da moça aqui

Os mestres cordelistas Seu Xarute (em pé) e Otaniel Souza leram seus versos no sarau

Prestigiando a parceira Zanny Adairalba, o compositor David de Paulo, a mestre de culinária Kalu Brasil, designer Bruno Raposo e o artista plástico Marcelo Santa Isabel

FECHANDOTem notícias sobre ações de qualquer tipo na área literária? Quer dividir sua opinião sobre a coluna? Então escreve para culturaderoraima@gmail.com