quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Artista plástico indígena expõe no Rio de Janeiro

O escritor e artista plástico Jaider Esbell vai expor no Rio de Janeiro de 12 a 19 de setembro. O teatro municipal Ziembinski vai abrigar a mostra Ĩtekre - Ekaremenen O Mensageiro, composta por 20 obras.

O espaço fica na rua Heitor Beltrão, Tijuca, em frente à estação de metrô São Francisco. Por e-mail, o artista de origem macuxi contou um pouco sobre a mostra.

Clique para ampliar o cartaz da mostra


 Quantos quadros você vai levar e qual é a temática deles?

Estarão compondo essa mostra um total de 20 pinturas que procuram contemplar a grande diversidade do estado de Roraima, tanto as questões étnicas, paisagísticas, geógráficas, cosmológicas e, sobretudo, contemporânea. É uma ocasião especial para degustação, mas estarei com o portfólio impresso onde estará a coleção completa organizada por temáticas.
 

Como surgiu o convite para expor no Rio?


Essa exposição é um investimento pessoal que estou fazendo para a divulgação do meu trabalho de arte, o que chamo de campanha. Estarei falando e mostrando as coisas do nosso estado. Estava planejando esta viagem por ocasião de minhas férias do trabalho (Eletrobras) e nesse meio tempo, recebi a visita de um artista da Funarte, que é do Rio de Janeiro ao meu ateliê e numa conversa afinada, recebemos o convite para que concentrássemos a mostra no Teatro Municipal Ziembinski. A parceria evoluiu e estaremos no Teatro Municipal de 12 a 19/09.


Quais outras exposições você realizou este ano em Roraima e fora do Estado?

Este ano fiz duas grandes exposições. Durante o mês de abril estivemos na UERJ - Universidade do Rio de Janeiro, com a exposição Reflexos da Ancestralidade, uma iniciativa do Nearin com  curadoria e produção do Cristino Wapixana. Aqui em Boa vista, simultânea à exposição no RJ, estreamos a exposição Cabocagem o homem na Paisagem, que ficou por quarenta e cinco dias em cartaz, entre os meses de abril e maio. Ainda participamos a convite de artistas do Mato Grosso, com patrocinio da Funarte, da exposição coletiva Vida no Mato.


E as próximas, serão onde?

Ainda este ano, como parte dessa "campanha", estarei indo a Porto Alegre-RS, também em setembro. Quando retornar devo fazer uma mostra instantânea na Casa do Neuber. Depois sigo para Normandia na primeira quinzena de outubro, onde estarei realizando novamente uma exposição naquele municipio, quando estarei comemorando meu primeiro ano de carreira como artista plástico. Em 2013 no primeiro semestre estarei desenvolvendo as atividades para a grande mostra coletiva de artistas indígenas idealizada como "A reinvenção do tempo nas perspectivas dos netos de Makunaima - artistas indígenas roraimenses e suas cosmovisões em artes contemporâneas". No segundo semestre de 2013, estaremos em exposição itinerante internacional. Trata-se da exposição MIRA - Arte Contemporãnea dos Povos Indigenas, uma iniciativa da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, com o apoio do Itamarati. Os meses de junho e julho a exposição ficará em Belo Horizonte e nos próximos meses seguirá para o Perú, Colombia, Bolívia e Equador.