quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O som que rolou no VI Sesc Fest Rock

Escrito por Vinícius Tocantins e originalmente publicado no blog Ei, deixa eu te falar

Primeira noite

O SESC Fest Rock entra em 2010 na sua sexta edição com algumas reformulações, porém sem perder sua majestade. A noite do dia 30 começou cedo, por volta das 20h30, ainda com um público tímido e esperando os compromissados da noite chegarem ao complexo do SESC Mecejana um pouco mais tarde.

A banda HCL deu start ao festival mostrando suas composições próprias e confirmando a merecida vaga conquistada na prévia. ELVIS FROM HELL chegou logo depois para fazer seu show eletrizante, que pra mim ganha força a cada apresentação. Destaque para o voz marcante da banda.

Chega então a hora da apresentação da banda mais performática de Boa Vista. Estou falando de A COISA, que garante no mínimo boas risadas para o público. Desta vez um novo elemento cenográfico é usado. Um vaso sanitário vem para o palco para somar críticas ao governo e políticos do Brasil.

Para finalizar o comentário da banda vale destacar 2 momentos:

1- Apesar das brincadeiras, Mr Gal (vocalista) aproveitou o momento das eleições para pedir que as pessoas não vendam seu voto, uma forma de mudar a imagem da política no país.

2- Após o show, já nos bastidores, a banda deu uma entrevista super engraçada para a WebTv do Canoa, é gargalhada garantida.

Madame Saatan (Foto: Saulo Oliveira)


De São Paulo chega a quarta banda da noite. MADAME SAATAN (PA), que já em sua segunda apresentação na capital roraimense, conquista o público nos primeiros acordes. Banda com uma qualidade técnica indiscutível e com um carisma que não fica atrás. O público com certeza aprovou a apresentação. Fica agora só a esperança para o lançamento do seu segundo CD e a torcida para que Roraima seja incluída na sua próxima turnê de divulgação.

É claro que o baterista Ivan não poderia sair da cidade sem contar uma boa piada e os belenenses não poderiam deixar de degustar um peixe da terra. Pra quem ainda não conhecia a banda, vale a pena pesquisar mais sobre.

Para fechar a primeira noite do Fest Rock, a banda MATANZA chega no palco e faz com que o público se aperte cada vez mais próximo dos músicos. Também em sua segunda apresentação em Boa Vista, o grupo liderado por Jimmy fez o ginásio do SESC Mecejana cantar suas músicas no volume máximo e esquecerem de todos os problemas, incluindo a complicada acústica do local que prejudicou todas as bandas do dia 30.

A primeira noite da edição 2010 de SESC Fest Rock chega ao fim. O que podemos esperar do próximo dia?

Segunda noite

A segunda noite do SESC Fest Rock chega com alguns rótulos de noite da nostalgia e a noite da quebradeira. A acústica parece dar uma trégua e ajuda a última noite.

O show do ARROTO DO SAPO começa, mas a sensação que fica é que não convenceu. O baterista teve uma atitude lamentável tentando quebrar a bateria no fim do show, que pra mim não deve ser seguida por uma banda que busca se profissionalizar e que tem espírito de coletividade.

Depois dos imprevistos e da bateria recomposta entra no palco a SHEEP, com nova formação e cantando seus antigos sucessos. Apesar da boa apresentação, a banda ainda não emplacou sua volta e precisa de mais empenho na cena local por parte dos integrantes.

Não posso deixar de falar do fim da show da banda. Depois de ARROTO DO SAPO tentar quebrar a bateria, Ramon quebrou sua guitarra stratocaster no melhor estilo Grunge/Rock.

O rock`n roll setentista desembarca no palco do evento trazendo muita diversão para público e fazendo todos dançarem com a banda DUST ROAD (AM). Os elementos soam super refinados e o show foi pegando corpo. O público pediu, e eles emplacaram uma apresentação mais longa. A banda que no passado se chamava CONTEXTO voltou à capital roraimense com vontade de fazer um show bonito, e conseguiu.

O público já estava aguardando o headline do Fest Rock quando a banda VELUDO BRANCO entra pra fazer seu show. A banda que mês passado representou Roraima e o coletivo Canoa Cultural no Festival Quebramar-AP trouxe um show performático no estilo Power Trio. Destaque para o baixo acústico de Mirocem Beltrão, lembrando os antigos shows de Jazz/Blues.

Dado Villa-lobos (Foto: Gilvan Costa)


Tudo pronto para o último show do Festival, DADO VILLA LOBOS e TONI PLATÃO se preparam para subir ao palco, tempo suficiente para a equipe de WebTv do Canoa Cultural fazer uma pequena entrevista no camarim. Era legal saber como estava a expectativa deles em fazer seu primeiro show na cidade de Boa Vista-RR. Ainda deu tempo pra Manoel Vilas Boas fazer uma pergunta apimentada: ¨Dado, como você enxerga essa questão do download gratuito, a pirataria na internet?¨. A resposta você só saberá no documentário que o Canoa lançará sobre o festival, mas posso adiantar que ele não ficou em cima do muro.

Perto de 1h da manhã, já na madrugada de domingo, DADO VILLA-LOBOS entra com a responsabilidade de fechar a edição 2010 de Roraima SESC Fest Rock com chave de ouro. O show foi marcado por algumas músicas de seu trabalho autoral, mas foi dominado mesmo pelo velhos clássicos da LEGIÃO URBANA, momento de nostalgia total para o público presente. O show ainda me rendeu um momento rodie de Dado devido a alguns imprevistos do palco. Sem dúvida era nítido que todos adoraram ouvir as músicas que embalaram suas juventudes.

O VI Roraima SESC Fest Rock se encerra bem, com algumas questões de logística e produção que precisam ser reformuladas, mas que ainda sim conseguiu agradar o Público.

O Processo de identidade do evento precisa ser redefinido, entre uma FESTA DE ROCK ou um FESTIVAL DE MÚSICA AUTORAL, o importante é evoluir.