sábado, 5 de abril de 2014

Coluna Rede Literária, edição # 91, de 05.04.14

PRÓLOGO

Salve, gente bonita. Que tudo corra bem neste mês de abril, que leiam muitos livros, que ouçam muitas histórias e que encontrem as bibliotecas públicas de Boa Vista abertas aos finais de semana. Tudo bem, eu sei: é surreal que as bibliotecas fiquem fechadas nos finais de semana, quando vocês poderiam frequentá-las e emprestar livros.

Beijos na bochecha,

Edgar Borges
Mande notícias: culturaderoraima@gmail.com / edgarjfborges@gmail.com
Siga no twitter: @borgesedgar

POEMA VISUAL


 
Arte  de Totonho Laprovitera,  arquiteto e artista plástico lá em Fortaleza, Ceará. Mais dele em www.laprovitera.blogspot.com.br/


DO PRAZER DA LEITURA


A revista Educar para Crescer publicou uma matéria em seu site dando boas dicas para incentivar os filhos a ler todos os dias e ter gosto pelos livros. Confere no link e depois dá um retorno para saber se tudo correu bem: http://abr.ai/1jw2Zu1.

OBRAS DO ALDENOR



 
Saca dois dos livros nos quais o jornalista Aldenor Pimentel já publicou seus poemas e contos: Poesia Todo Dia, da editora AlphaGraphics (para comprar, acesse http://bit.ly/1dKzAwB), e As Aventuras do Velho Matemático, coletânea resultante do II Concurso Literário “O Velho Matemático”. 
Além deles, Aldenor tem um poema na coletânea do Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus – 2013, a ser lançado em agosto na 3ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, mas que já pode ser comprado aqui: http://bit.ly/1s3pjzg.


CONTO

As moedas encontradas e o homem perdido
Um homem saiu com a mulher e os filhos para um piquenique. Era domingo. Fazia tempo que não tinham um programa em família. O pai trabalhava de segunda a sábado. No caminho, ele avistou uma moeda que reluzia na calçada. Abaixou-se para pegá-la. Nem se levantou e encontrou outra moeda. E outra. E outra. E mais outra. E as moedas se multiplicavam em um número incontável. 

De certo, pensou que se tivesse mais moedas, melhor seria o piquenique. E quanto mais moedas encontrava, mais planos fazia: comprar um carro, mudar de casa, deixar o trabalho para dedicar mais tempo à família. O piquenique não aconteceu. A mulher e os filhos desistiram de esperar e voltaram para casa. Dizem que até hoje o homem está lá, jogado na calçada, na beira da sarjeta, a catar moedas que nunca o saciarão.

Texto de Aldenor Pimentel.


CONCURSO PARA ILUSTRADORES

O Fundo de Cultura Econômica está recebendo as inscrições dos escritores e ilustradores interessados em participar do XVIII Concurso de Livro Ilustrado - A la Orilla del Viento. As inscrições podem ser feitas até 30 de agosto. O ganhador receberá 150 mil pesos mexicanos (algo em torno de R$ 26,7 mil), como adiantamento de direitos autorais, além da publicação da obra. O edital está disponível em www.fondodeculturaeconomica.com.


DICA DE LEITURA

A dica não tem a ver com livros, mas sim com leituras do mundo em que vivemos. Vale ler essa entrevista no site da revista do Instituto Ciência Hoje com o antropólogo brasileiro Cláudio Pinheiro falando sobre a descolonização do pensamento. Quem sabe ao acessar http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/ os teus horizontes não se ampliam mais e percebes como as tuas ideologias são formadas?


DATAS DE ABRIL

Este mês está recheado de datas que dizem respeito ao mundo da literatura, livro e leituras. Na quarta passada (2) celebramos o Dia Internacional do Livro Infantil. Terça (8) é o Dia Nacional do Livro Infantil. 15 é o Dia Mundial do Desenhista. 18 comemoraremos o Dia de Monteiro Lobato e 23 o Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor. Agora podes fazer a tua agenda literária e celebrar à vontade.

MENTIRAS DE 1° DE ABRIL



Tirado lá da fan page da editora Leya


PARA REVISTAS CIENTÍFICAS

A Universidade Federal de Roraima publicou semana passada seu primeiro edital de apoio às revistas científicas da instituição. Foram disponibilizados R$ 60 mil para quatro publicações.